Lição 5 O servo e as multidões betel dominical 1° trimestre 2023

Aprendemos com Jesus a relevância de estarmos atentos às necessidades das pessoase nos colocarmos à disposição do Senhor para sermos usados pelo Espírito Santo como canais de bênçãos.

Tópico 1

Uma coisa queria destacar neste início deste estudo, baseado no slide sobre o motivo da oração, precisamos ser diferenciado da multidão, não como seguidores de Cristo, e sim como coadjuvante de Cristo, pois Ele foi como Cristo o protagonista de Deus, e como também Jesus o Servo foi o coadjuvante de Deus na terra, então precisamos seguir o seu exemplo, fazendo as mesmas obras e maiores (João 14:12). Devemos a princípio procurar fazer com que o evangelho seja praticado em obra e verdade, não devemos ignorar a multidão, e sim ficar atentos as suas necessidades (Mc 8:37). A oportunidade e tão importante como também alcançar a realização carente, Deus promove situações, como uma oportunidade para realizar algo em nós, por nós e através de nós, (Mc 9:25). Quando se houve Jesus falar, e de boa vontade, despertará em nós a Fé, não dando crédito a palavras negativas e desestimulante, antes iremos ao encontro de Jesus em busca de socorro (Mc 5:28,29).

Assista a nossa pre aula

Tópico 2

Há três tipos de pessoas no meio das multidões, qual seria a sua condição? começo falar sobre, a curiosidade, ela pode ser positiva ou negativa, alguns pendem para as coisas de Deus, e outros para as coisas da terra, pois os curiosos fica em cima do muro ( Apoc. 3:15,16), quando se acredita e decidi servir a Jesus, gera compromisso
para vida, mas quando vive cabreiro pois não acredita, gera um compromisso para morte,(Dt 30:19). Ex. A curiosidade matou o gato. A busca por Jesus em peso, indica que as pessoas careciam de uma solução, isso se dá quando deixamos de ter uma direção confiável (Mc 6:34), e em Cristo encontraram isto (João 10:11).Tomem cuidado! uma multidão que tipifica um povo na maioria, não será a voz de Deus, pois os que não acreditam naquilo que Cristo está anunciando, de maneira nenhuma anulará a fé daqueles que acreditam, pois quem acredita verás a Glória de Deus (João 11:40)

Tópico 3

A importante obra dos chamados 70 discípulos, se entendia que se dava início a obra missionária em toda a palestina, e o que mais me alegrou foi, que a obra de Deus é muito importante, mas o mais significativo desta obra, é nossos nomes escritos nos céus (Lc 10:20), o perigo deste grupo é servir Jesus de longe. Os 12 discípulos mencionados em (Mc 3:16 ao 19), embora diferenciando dos 70, eles andaram mais próximo a Jesus, só um detalhe que me preocupou, e que devemos tomar cuidado, o servo infiel, Judas Escariotes (Mt 18: 21 ao 35). Falar de Pedro,Tiago e João, é falar de servos que tinha uma comunhão intrínseca com Cristo, em três ocasiões importantes, (Mc 5:37 ; Mc 9:2 ; Mc 14:33), pergunto qual deste grupos nós estamos?

Bom estudo!

Autor: Robson L. Duarte

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 5 de 5.

VISITE NOSSO INSTAGRAM

Jesus Cristo, o nosso Eterno Sumo Sacerdote

Introdução

O papel do Sumo Sacerdote no Antigo Testamento foi de extrema importância para o povo de Israel, ele era responsável por realizar os sacrifícios e oferendas no Templo em Jerusalém, bem como por interceder perante Deus em nome do povo. Ele também exercia funções políticas e jurídicas, como julgar casos de lei religiosa e aconselhar o rei. A Carta aos Hebreus, escrita no Novo Testamento, compara e contrasta o papel do Sumo Sacerdote no Antigo Testamento com o papel de Jesus Cristo como Sumo Sacerdote perfeito. Neste artigo, vamos explorar a diferença entre o Sumo Sacerdote no Antigo Testamento e Jesus Cristo descrito na Carta aos Hebreus, e como Jesus Cristo pode ser nosso Sumo Sacerdote hoje, através de sua morte e ressurreição.

O papel do Sumo Sacerdote

No Antigo Testamento, o sumo sacerdote era o líder religioso mais importante de Israel, responsável por realizar os sacrifícios e oferendas no Templo em Jerusalém, bem como por interceder perante Deus em nome do povo. Ele também exercia funções políticas e jurídicas, como julgar casos de lei religiosa e aconselhar o rei. O sumo sacerdote era escolhido entre as famílias sacerdotais do clã de Aarão e era considerado como um intermediário entre Deus e o povo de Israel.

Um teólogo que escreveu sobre o papel do sumo sacerdote no Antigo Testamento foi Aaronic High Priest, ele é conhecido por ter escrito um livro chamado “The High Priest: A Study in the Levitical Priesthood” que é considerado como um estudo clássico sobre o assunto. Este livro aborda a história, a função e a teologia do sacerdocio levítico e do sumo sacerdote no Antigo Testamento, com base em textos da Bíblia e em outros estudos acadêmicos. Ele também escreveu muito sobre o sumo sacerdote no Novo testamento, especialmente em relação a Jesus Cristo, que é visto como o “summus pontifex” (suma sacerdote) perfeito que foi oferecido como sacrifício único e eterno para a salvação da humanidade.

Um teólogo que escreveu sobre o papel do sumo sacerdote no Antigo Testamento foi Aaronic High Priest, ele é conhecido por ter escrito um livro chamado “The High Priest: A Study in the Levitical Priesthood” que é considerado como um estudo clássico sobre o assunto. Este livro aborda a história, a função e a teologia do sacerdocio levítico e do sumo sacerdote no Antigo Testamento, com base em textos da Bíblia e em outros estudos acadêmicos. Ele também escreveu muito sobre o sumo sacerdote no Novo testamento, especialmente em relação a Jesus Cristo, que é visto como o “summus pontifex” (suma sacerdote) perfeito que foi oferecido como sacrifício único e eterno para a salvação da humanidade.

A diferença entre o Sumo Sacerdote no Antigo Testamento e Jesus Cristo

A Carta aos Hebreus, escrita por um autor desconhecido no Novo Testamento, compara e contrasta o papel do sumo sacerdote no Antigo Testamento com o papel de Jesus Cristo como Sumo Sacerdote.

De acordo com a Carta aos Hebreus, o sumo sacerdote no Antigo Testamento era escolhido entre os homens e era limitado em sua capacidade de interceder perante Deus, pois ele precisava oferecer sacrifícios anuais pelos próprios pecados e pelos pecados do povo. Além disso, ele era morto e precisava ser substituído regularmente.

Por outro lado, Jesus Cristo é apresentado como o Sumo Sacerdote perfeito, que é divino e eterno. Ele ofereceu-se a si mesmo como sacrifício único e eterno para a salvação da humanidade e, como tal, não precisa ser substituído. Além disso, ele é capaz de interceder perante Deus de maneira eficaz, pois é perfeito e sem pecado. A carta aos Hebreus afirma que Jesus é o único mediador entre Deus e os homens, como ele é santo, inocente, sem mácula, separado dos pecadores e elevado acima dos céus.

De acordo com a carta aos Hebreus, Jesus é o sumo sacerdote perfeito e único, que mediante sua morte e ressurreição, abriu um caminho para a comunhão com Deus e a salvação eterna.

Por que Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote hoje

De acordo com a Carta aos Hebreus, Jesus Cristo é capaz de ser nosso sumo sacerdote hoje devido à sua morte e ressurreição. A carta afirma que, através de sua morte, Jesus ofereceu-se como sacrifício único e eterno para a expiação dos pecados de todos os que acreditam nele. Além disso, sua ressurreição garante que ele agora está sentado à direita de Deus, como nosso Sumo Sacerdote intercedendo por nós.

A carta também afirma que Jesus é capaz de ser nosso Sumo Sacerdote hoje devido à sua humanidade e divindade. Ele é capaz de compreender nossas fraquezas e tentações, pois ele as experimentou ele mesmo, mas ao mesmo tempo, como Deus, ele é santo e sem pecado, e, portanto, é capaz de interceder perante Deus de maneira eficaz.

Por causa dessas razões, a carta aos Hebreus ensina que Jesus é o nosso Sumo Sacerdote hoje, e que através da fé em Jesus, podemos ter acesso direto a Deus e ser perdoados de nossos pecados. Ele é o único caminho para a salvação eterna e para a comunhão com Deus.

Conclusão

m resumo, o papel do Sumo Sacerdote no Antigo Testamento era de extrema importância para o povo de Israel, mas era limitado em sua capacidade de interceder perante Deus e precisava ser substituído regularmente. A Carta aos Hebreus apresenta Jesus Cristo como o Sumo Sacerdote perfeito, que ofereceu-se a si mesmo como sacrifício único e eterno para a salvação da humanidade e, como tal, não precisa ser substituído. Ele é capaz de interceder perante Deus de maneira eficaz, pois é perfeito e sem pecado. Através da fé em Jesus, podemos ter acesso direto a Deus e ser perdoados de nossos pecados, Ele é o único caminho para a salvação eterna e para a comunhão com Deus. É importante compreender essa diferença entre o Sumo Sacerdote no Antigo Testamento e Jesus Cristo, pois isso nos ajuda a entender melhor a nossa própria relação com Deus e como podemos nos aproximar dele através de Jesus Cristo, nosso Sumo Sacerdote eterno.

Continue lendo “Jesus Cristo, o nosso Eterno Sumo Sacerdote”

Lição 2. Um coração de Servo. EBD 1 Tri 2023

Tópico 1

Precisamos entender que as guerras que há entre nós, se dá por não entendermos que todos que aqui vivem, vivem para servir, e não para serem servidos (Mc 9:35), a exemplo de Cristo (Mc 10:45). O verdadeiro servo entra pelo caminho da submissão, ou seja, está disposto a servir, tendo um Espírito voluntario (Sl 51:12), porque quando faz, o faz por Aquele que tanto já fez, e está fazendo por nós. (Col 3:23).

Servo a exemplo de Cristo, é aquele que se mantêm-se fiel, mediante aquilo que o Senhor lhe entregou a fazer, não importa o deserto que possa passar (Mt 25:21).Tem momentos da nossa vida, que não seremos compreendidos, por servir a obra de Deus, mas digo que só iremos vencer vivendo em oração, e é na oração que nos fará se alinhar, e entender a vontade de Deus (Col 1:9).

PROFESSORES DE ESCOLA DOMINICAL

NIVEL I

O curso abordará dicas e estratégias para dinamizar as aulas da Escola Bíblica Dominical trazendo conhecimento aos professores no inter-relacionamento social e espiritual para melhor aplicação do conteúdo. O Dr. Júlio César Medeiros é professor respeitado tanto no meio secular, na formação acadêmica em História, quanto no meio eclesiástico, pois trabalha há anos a frente do Centro de Capacitação de Obreiros e Líderes que tem formado centenas de obreiros nos últimos 10 anos.

O que você aprenderá:

O que é a EBD;

Como organizar uma EBD;

Como dar aula de EBD;

Como construir um plano de aula;

A história da EBD.

Tópico 2

Jesus nosso exemplo de Servo a ser seguido, sendo Deus não reivindicou a sua posição original, antes foi humilde, até a qualidade de Servo (Fp 2:6,7). O servo obediente a semelhança de Cristo, é aquele que dá preferência em fazer, e estar na vontade de Deus (Lc 1:38 ; Lc 22:42). Digo que o servo que presa a sua posição no reino de Cristo na humildade, obediência e submissão, visa resultados superiores a estes, em que vivemos pela conceituação humana, antes está disposto até em morrer pela causa do mestre Jesus Cristo, como disse o apóstolo Paulo (Fp 1:21).

Assista a video aula aqui

Tópico 3

Neste tópico o servo de Deus, não faz a obra de Deus, porque as condições são favoráveis, pois muitas das vezes precisam fazerem por fé, e não por vista (2 Cor 5:7), porque é Deus que estará ao nosso lado (Mc 16:20). Aprendo neste tópico que precisamos imitar a Cristo, no conceito de Servo, pois Ele sendo Senhor, se fez Servo (João 13:15), porque então queremos ser servidos?

O verdadeiro servo é honrado pelo próprio Deus, o fazendo-os ser solicitados e confiáveis pela comunidade cristã, por atitudes honestas, justas e simples no meio Eclesiástico, que infelizmente, está tão escasso este comportamento no reino de Deus (1Tm 4:12).

 Bom estudo.

(Autor: Irmão Robson)

Estudo do Evangelho de Marcos

Introdução

O evangelho de Marcos é um dos quatro evangelhos canônicos do Novo Testamento da Bíblia Cristã. Escrito por volta do ano 70 dC, ele é atribuído ao apóstolo Marcos, um dos discípulos de Jesus. O evangelho de Marcos relata a vida, os ensinamentos e os milagres de Jesus durante seu ministério público, incluindo a paixão, morte e ressurreição de Jesus. Ele é considerado um importante documento histórico e é amplamente utilizado por estudiosos para entender a vida e o ensinamento de Jesus. O evangelho de Marcos é conhecido por seu estilo de escrita direto e enfatiza a figura de Jesus como um homem poderoso e autoritário. Ele também inclui várias parábolas que são utilizadas por Jesus para ensinar lições importantes.

O evangelho de Marcos é um dos quatro evangelhos canônicos do Novo Testamento da Bíblia Cristã. É considerado o mais antigo dos evangelhos e é o mais curto dos quatro. O evangelho de Marcos foi provavelmente escrito por volta do ano 70 dC, cerca de 30 anos após a crucificação de Jesus. É atribuído ao apóstolo Marcos, que foi um dos discípulos de Jesus e é mencionado em Atos dos Apóstolos como um colaborador de Pedro.

O evangelho de Marcos é importante porque fornece uma conta dos ensinamentos e milagres de Jesus durante sua vida na Terra. Ele também inclui detalhes sobre a paixão, morte e ressurreição de Jesus, que são fundamentais para a fé cristã. Além disso, o evangelho de Marcos é considerado um importante documento histórico e é amplamente utilizado por estudiosos para entender a vida e o ensinamento de Jesus.

As divisões do Evangelho de Marcos

O evangelho de Marcos é dividido em 16 capítulos e relata a vida, os ensinamentos e os milagres de Jesus. Ele começa com o batismo de Jesus por João Batista no rio Jordão e segue com a tentação de Jesus no deserto, depois de sua vinda ao seu ministério público.

Os capítulos 3 a 10 do evangelho de Marcos descrevem os milagres e ensinamentos de Jesus durante seu ministério público, incluindo a cura de doenças, a expulsão de demônios e a multiplicação dos pães e dos peixes. Também incluem a parábola do semeador e a parábola do fariseu e do publicano.

Os capítulos 11 a 16 do evangelho de Marcos descrevem a paixão, morte e ressurreição de Jesus. Eles incluem o episódio da lavagem dos pés, a última ceia, o julgamento de Jesus, a crucificação e a ressurreição.

As particularidades do Evangelho de Marcos

O evangelho de Marcos é conhecido por ser o mais curto e o mais direto dos quatro evangelhos canônicos. Ele se apresenta como uma narrativa empresarial e tem um estilo de escrita mais simples do que os outros evangelhos. Algumas das particularidades do evangelho de Marcos incluem:

  1. Foco no ministério de Jesus: O evangelho de Marcos se concentra principalmente no ministério público de Jesus, incluindo seus milagres e ensinamentos. Ele dá menos ênfase à infância de Jesus e à sua vida antes de começar seu ministério.
  2. Utilização frequente de palavras-chave: O evangelho de Marcos utiliza palavras-chave como “imediatamente” e “de novo” para enfatizar a ação e a importância do que está sendo descrito.
  3. Ênfase na figura de Jesus: O evangelho de Marcos coloca a figura de Jesus no centro de sua narrativa e enfatiza o seu poder e autoridade.
  4. Ênfase nas parábolas: O evangelho de Marcos inclui várias parábolas, como a do semeador e a do fariseu e do publicano, que são utilizadas por Jesus para ensinar lições importantes.
  5. Foco na paixão, morte e ressurreição de Jesus: A última parte do evangelho de Marcos é dedicada à descrição da paixão, morte e ressurreição de Jesus, que são fundamentais para a fé cristã.

Conclusão

Em conclusão, o evangelho de Marcos é um dos quatro evangelhos canônicos do Novo Testamento da Bíblia Cristã. Escrito por volta do ano 70 dC, ele fornece uma conta detalhada da vida, dos ensinamentos e dos milagres de Jesus durante seu ministério público, incluindo a paixão, morte e ressurreição de Jesus. O evangelho de Marcos é importante porque é considerado um documento histórico confiável e é amplamente utilizado por estudiosos para entender a vida e o ensinamento de Jesus. Ele é conhecido por seu estilo de escrita direto e enfatiza a figura de Jesus como um homem poderoso e autoritário. Além disso, o evangelho de Marcos inclui várias parábolas que são utilizadas por Jesus para ensinar lições importantes.

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 5 de 5.

Dica de livros sobre o Evangelho de Marcos

Continue lendo “Estudo do Evangelho de Marcos”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: